+55 47 3466-1106

Pagamento Internacional: o que é e quais os tipos

Não é novidade que para uma empresa se manter competitiva no mercado o investimento em novas tecnologias é fundamental, e uma das formas para tanto é importar peças ou produtos acabados. A busca por fornecedores mundo afora não é tarefa fácil, tampouco rápida, pois além de demandar muito estudo e pesquisa, a confiança entre as partes envolvidas na negociação é primordial para o pagamento internacional ocorrer sem problemas.

Não basta encontrar alguém que esteja disposto a trabalhar por um preço justo, é preciso compreender de que forma você pode ter uma operação segura. Isso permitirá evitar que algo dê errado durante o processo.

Tratando-se de Comércio Exterior, as modalidades de pagamento servem para garantir a segurança da operação. Entretanto, cada forma de pagamento pode apresentar prós e contras para o exportador ou para o importador.

Nesse sentido, elaboramos este texto sobre as principais formas de pagamento para que você, importador, possa escolher a melhor opção antes mesmo de partir para a negociação.

O que é pagamento internacional?

O que o Banco Central do Brasil (BACEN) chama de remessa de divisas ao exterior nada mais é do que um pagamento internacional.

Depois de negociar o preço, a próxima etapa é a negociação da forma de pagamento. Contudo, como esta etapa envolve custos, é considerada um tanto delicada.

Quais os principais tipos de pagamento internacional?

São quatro os tipos de pagamento mais utilizados nas negociações internacionais. Vejamos os seus detalhes a seguir.

Antecipado (Payment in Advanced)

O pagamento antecipado é feito antes do embarque da mercadoria.

Dependendo do tipo de indústria, há muitos grandes players, donos de enormes plantas fabris espalhadas por todo o globo, que não querem perder tempo produzindo para receber um aviso de cancelamento na véspera do embarque.

Parece insano, mas não é raro vermos grandes exportadores com uma extensa política comercial repleta de medidas restritivas para as primeiras vendas. Colocar esse tipo de barreira para iniciar um negócio é uma forma de proteção, principalmente se o importador está localizado em um país politicamente instável, com riscos de conflito a todo momento.

É importante ressaltar que usualmente esse tipo de conduta não dura para sempre. À medida que o relacionamento vai se consolidando, outras formas de pagamento são oferecidas.

Obviamente esta modalidade de pagamento internacional é bastante arriscada para o importador, uma vez que este fica encarregado de enviar uma ordem de pagamento antes mesmo de ter certeza de que o embarque da mercadoria aconteceu.

Carta de Crédito (Letter of Credit)

Também chamada de letter of credit, a carta de crédito é regulamentada pela Câmara Internacional de Comércio (ICC).

Esta é a modalidade que oferece o menor risco para o negócio, pois envolve no mínimo três instituições bancárias para assegurar a operação por meio de garantias.

Na prática, o importador solicita a abertura de uma carta de crédito junto ao seu banco de preferência (banco emissor) a favor do exportador. Em seguida, um segundo banco é envolvido na transação com a finalidade de transmitir a abertura do crédito – ele é chamado de banco avisador e deve estar localizado no país do exportador.

Por fim, um terceiro banco – o banco confirmador – assume o risco de crédito do banco emissor e fica responsável por honrar o pagamento ao exportador, que pode ser feito de maneira direta ou por meio de outro banco. Se o processo envolver um quarto banco, este é chamado de banco negociador.

Independentemente de pagamento à vista ou a prazo, a carta de crédito tem validade de 90 dias e a finalidade de nortear as condições de venda.

Tais condições se resumem aos termos destacados na Carta de Crédito, que são exigências feitas pelo importador. Portanto, elas são determinantes para autorizar a operação do pagamento internacional.

Como se trata de condições específicas, esses termos variam desde o material da embalagem da mercadoria até a rota que será feita para transportá-la. Por exemplo, uma mercadoria não poderá passar por determinados países, mesmo que para isso estejam envolvidos fretes mais caros.

Além disso, é comum encontrar condições envolvendo a periodicidade de embarques. Isso significa que as cartas de crédito podem fazer parte da estratégia de suprimentos, sendo utilizadas como instrumento de apoio para controlar o abastecimento de estoque.

Cobrança documentária (Cash Against Document)

Assim como a carta de crédito, a cobrança documentária é regulamentada pela Câmara Internacional de Comércio e, por isso, é um processo globalmente padronizado.

Além de envolver mais de um banco, a cobrança documentária requer uma análise documental da mercadoria embarcada. Sendo assim, ao receber a confirmação do embarque por parte do transportador, o exportador se compromete em entregar todos os documentos ao banco remetente. Além disso, é preciso providenciar o saque, sendo essa uma responsabilidade do exportador.

Depois de obter os documentos e o valor do saque, o banco remetente emite uma carta de cobrança e a envia junto com os documentos a um banco correspondente, também chamado de banco cobrador.

Ao receber os documentos e o saque, o banco cobrador prossegue com a cobrança, solicitando formalmente que o importador faça o pagamento.

Diferente da carta de crédito, nesta modalidade nenhum dos bancos envolvidos assumem qualquer responsabilidade pelo pagamento, ou seja, eles atuam como meros intermediários financeiros.

​​Boleto Bancário

Esta é a modalidade de pagamento internacional mais prática e pode ser feita com a ajuda de uma agência de câmbio como intermediária.

De modo geral, o pagamento é feito conforme o câmbio do dia. Além do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras), um imposto padrão referente a qualquer operação financeira. O custo da operação se resume a uma taxa referente ao serviço prestado, neste caso, a operação cambial.

Para pagamento internacional tenha sempre:
Dados bancários do exportador, como Código SWIFT (que identifica as instituições financeiras no mundo todo) e IBAN (International Bank Account Number);
Proforma Invoice ou Commercial Invoice;

Nome e telefone do gerente ou responsável pela mesa de câmbio do banco para sanar eventuais dúvidas relacionadas à forma de pagamento.

Com a AIN Global sua empresa não precisa se preocupar com as burocracias da importação
Sabemos que importar vai muito além da arte de negociar. Por isso, quando o assunto é Comércio Exterior, nosso time conta com especialistas capazes de simplificar as situações que aparentam ser complexas ou de difícil solução durante todas as fases da sua importação.

Assim você terá mais tranquilidade em trabalhar estrategicamente nos pontos fortes do seu negócio.
Entre em contato conosco e saiba mais sobre os nossos serviços!

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter

Outros artigos

É inegável a importância de ter uma empresa brasileira no Comércio Exterior entre as duzentas de Pequeno e Médio Porte que conseguiram …

Para decidir quais são os melhores INCOTERMS 2020 para sua operação é importante conhecer cada um deles e o que significam, assim …

O cenário cambial é um fator de grande relevância para o comércio exterior e influencia todas as operações logísticas na movimentação das …

Diversas são as operações e procedimentos que envolvem o Comércio Exterior em relação à compra e venda de mercadorias, tanto na importação, …